Buscar
  • Fernando Augusto da Silva

Será o fim das Especialidades Odontológicas?

Atualizado: Jan 11


Atualmente, o Brasil conta com 363.082 cirurgiões dentistas em atividade. Dentro deste universo, existem 126.785 títulos de especialistas. Não podemos afirmar que 34,9% dos profissionais são especialistas porque muitos têm mais que uma especialidade. Alguns chegam a ter até 4 títulos de especialistas.


O fato é que, no início dos anos 2000, houve um boom na quantidade de novos especialistas e desde 2004 esse número vem caindo a cada ano. A única especialidade que cresce ano a ano é a Harmonização Orofacial, mas isso se deve ao curto espaço de tempo em que ela foi reconhecida como uma especialidade, também, odontológica.


O estudo Odontologia Brasileira em Números 1970/2020 feito com base em dados coletados no site do Conselho Federal de Odontologia mostra que, entre os anos 1970 e 2020, houve um crescimento grande do número de especialistas no final dos anos 1990 e uma queda abrupta nos últimos anos do novo milênio.


Com base em gráficos extraídos do estudo acima referido, vamos analisar as 5 especialidades com maior número de profissionais: Ortodontia, Implantodontia, Endodontia, Prótese Dentária e Periodontia.



Ortodontia


A Ortodontia é a especialidade com maior número de especialistas: 29.235 profissionais.

Como podemos observar no gráfico abaixo, 2004 foi o ano em que mais se formou novos especialistas em Orto. Foram 2.313 dentistas em 2004, contra 132 em 2020. Queda de 94,3%.



Implantodontia


A Implantodontia é a segunda especialidade com maior número de profissionais: 17.813 especialistas.

Conforme vemos no gráfico a seguir, notamos o mesmo fenômeno acontecendo. São 1.355 novos especialistas em 2004, versus 66 em 2020. Número 95,1% menor.




Endodontia


Em terceiro lugar vem a Endodontia, com 17.058 cirurgiões dentistas.

Novamente, vemos 2004 como sendo o ano com maior número de novos profissionais com títulos de especialistas em Endo. Temos 1.159, contra 78 em 2020. Decréscimo de 93,3%.




Prótese Dentária


A quarta especialidade com maior número de profissionais é a Prótese Dentária, com 12.769 profissionais.

Ao contrário das 3 primeiras, a Prótese Dentária tem o ano de 2003 com maior número de novos profissionais habilitados nesta especialidade. São 929 neste ano e 54 em 2020. Queda de 94,2%.




Periodontia


Em quinto lugar vem a Periodontia, com 10.294 especialistas.

Nesta especialidade, também é o ano de 2003 que carrega o título de formar maior número de novos profissionais. São 358 versus os 25 de 2020. Número 93% menor.




Apesar de analisarmos apenas as 5 maiores, no estudo Odontologia Brasileira em Números 1970/2020 podemos constatar que, tirando a Harmonização Orofacial, todas as outras especialidades apresentam as mesmas características. Crescimento altíssimo entre 2003 e 2005 e queda a partir de então.



Possíveis Causas


Diante dessas informações e com base em percepções de mercado, podemos supor algumas prováveis causas para esta tendência de mercado.

Excesso de Profissionais


Nos últimos anos, o número de novos cirurgiões dentistas aumentou muito no Brasil. Até o ano 2000 eram 115.384 profissionais. Nas últimas duas décadas, esse número mais do que triplicou com a chegada de 247.541 dentistas ao mercado. Isso se deve ao grande número de faculdades de odontologia, o que acabou gerando uma saturação do mercado.

Acesso das classes mais baixas


Com incentivo cada vez maior de crédito estudantil e cursos cada vez mais baratos, a população de classe mais baixa começou a ter acesso a esta profissão, que até então, era considerada como elitizada. Apesar de um número grande conseguir finalizar o nível de graduação, muitos acabam não tendo condições de arcar com os investimentos necessários em um curso de nível de especialização.

Desinteresse pelo título de especialista


Pesquisas apontam que as gerações mais novas não dão o mesmo valor para os títulos, em comparação com as gerações anteriores. Isso é uma quebra de paradigmas, e se deve ao fato de muitos perceberem que não são os títulos de especialistas que irão garantir o sucesso financeiro na carreira.

Abandono da profissão


Muitos dentistas, por não conseguirem se estabelecer no mercado ou por descobrirem que não fizeram a melhor escolha profissional, acabam desistindo da carreira e buscando outras alternativas.

Movimento cíclico


Muitos mercados apresentam comportamento cíclico, ou seja, crescem, caem e depois de algum tempo voltam a crescer. Pode ser que seja uma tendência no mercado odontológico, mas só conseguiremos afirmar isso daqui alguns anos, quando tivermos dados para analisar os anos vindouros.

O Grande Desafio


Além dos profissionais, cirurgiões dentistas, as escolas de pós-graduação também têm um grande desafio de lidar com essa mudança no mercado odontológico. Os dentistas porque estão enxergando a profissão com mais consciência, e as escolas porque precisam adequar as ofertas de cursos com base nesse novo formato de encarar a carreira de dentista, por parte dos profissionais.


O fato é que existe uma mudança impactante em todos os players deste mercado: Dentistas, Protéticos, Indústria, etc.



Fernando Augusto é Coach Especialista em Mercado Odontológico; Master Practitioner em PNL; Pós-Graduado em Administração de Empresas pela FGV; Pós-Graduado em Marketing Management pelo IPAM Lisboa; Graduado em Comunicação pela Uninove; Coautor de 3 Livros: Coaching & Autorrealização, Novo Manual de Coaching e Vendas & Atendimento; Tem dezessete anos de experiência no mercado odontológico, dos quais, quatro atuando em Portugal, na filial europeia da Neodent.

102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo